segunda-feira, 22 de outubro de 2007

MULHER



De olhar sonhador
Ela fala de sonhos
Ela crê no amor.
Foi no canto de sereia
Que o mar afogou.
E dança gostoso
Girando as saias
Cigana e sem engana
Nas linhas das mãos.
Ela pede carinho
Procura aconchego
Embora perdida
Implora perdão.


Dilean De Bragança




10 comentários:

Mara* disse...

Ser mulher é ter sonhos inacabados, cuidar dos machucados, colar os cacos, e nunca desacreditar. É bom tê-la sempre a me visitar. Surpresa gostosa. Beijão.

A. C. O'Rahilly disse...

bom poema...

...as mulheres que sobrevivem (qualquer coisa e tudo) são as mais belas criaturas da Terra.

obrigado,
Andrew

Erika disse...

que bonita a imagem e as letras perfeitamente conjugadas.

beijo

A. C. O'Rahilly disse...

Muito obrigado pelas suas simpáticas palavras, mas sobretudo eu estou no amor com carine morandi

Márcia Santos disse...

passando , adorando e deixando um bjo! :)

Márcia Santos disse...

podemos trocar!!! eu te ensino os bordados vc me ensina a arte de ser poeta!!! Tu escreve coisas muito lindas!!! rsrsr abraços!!

tu não tem orkut ou msn???

Adão Flehr disse...

Lindos versos!
Que ela encontre o aconchego!

Obrigado pela sua presença e volte sempre...

Beijos

Sailing disse...

Bom poema, muita magia, encanto e sentimento.

Uma bonita mensagem

Pena disse...

Querida Amiga:
Encantadora sonhadora que, crê convicta e empenhadamente, no amor.
Um amor que não necessita de pedir perdão porque, acredito, que a merece e respeita. Só pode!
Perdida? Isso tenho a certeza que não! Perdida do Mundo não de si.
Uma sonhadora brilhante num terno e lindo poema.
Gostei muito, acredite? Sempre vivi de sinceridade que me provoca bem-estar e harmonia comigo mesmo e com os outros.
Parabéns!
Lê-la-ei sempre. Tem um fluir da escrita ao ritmo do bater doce das asas de um passarinho tocando as folhas de uma árvore muito bela.
Beijinhos grandes.
Bem-Haja pelo que é.
Sempre a tê-la na maior estima, amizade e consideração.

pena

Joni Bigoo disse...

Envolvente... E ela parece contigo, um pouquinho mais fulva...
bjaum!