terça-feira, 27 de maio de 2008

ODE AO AMOR




















Então, fitou-a ternamente
Com o olhar que acaricia
Como se fosse a vez primeira
Aquela que a olhou um dia
Estreitando mais o espaço
Do tempo que vencera
Confirmando cada traço
Entendeu que nada perdera

E ali dançaram na chuva
Corpos colados, saciados
Mãos em suas curvas
Em ritmos compassados.

Era um encaixe em simetria.
Dos Deuses a Conspiração !
Mistérios do amor ressurgia
Reacendendo a paixão.

E na ansia do momento
Entre lágrima e sorriso
Um beijo veio como vento
Calando o instante preciso

Silêncio, nada mais se proferia!!
Palavras seriam blasfemar
Diante do milagre que surgia
Só mesmo a canção do mar.

Sim, era início de nova era
De claridade sem lua cheia
O brilho estava deveras
Em vencer o canto da sereia.

O mar acalmou sua braveza
Acabaram as ondas do mal
Reencontraram a pureza
Sobreviveram afinal!!!

(Dilean De Bragança)

11 comentários:

Ni ... disse...

Fiquei radiante em descobrir que o blog que amo é de alguem que tb amo... rsrsr...
Bom demais ter vc ainda mais pertinho... Beijoooooo

Menina do Rio disse...

Diante ada força do amor, calam-se as palavras e unem-se os lábios num encontro de almas...

Um beijo

Pena disse...

Simpática Amiga:
Um admirável poema doce de beleza, ternura e encanto. Reflecte a pureza e doçura que vão em si e no que é.
"E na ansia do momento
Entre lágrima e sorriso
Um beijo veio como o vento
Calando o instante preciso"- Lindo!!!!!!!!!!!
"...Reecontraram a pureza."
É um fantástico Ser Humano, acredite?
As palavras "transpiram" delicia. Talento. Profundidade poética maravilhosa. Sincera.
Muito bem. Adorei!
Beijinhos amigos de estima, consideração e imenso respeito.
É linda!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Com amizade

pena

Pena disse...

Simpática Amiga:
Que bela e terna reconciliação doce com o amor.
Parabéns sinceros.
Um poema muito belo.
Beijinhos amigos de admiração

pena

Menina do Rio disse...

Passando para te deixar um beijo imenso

Pepe Luigi disse...

Bonita forma de expressar um entidimento nobre que é o AMOR.

Volte depressa ao nosso convívio.

Beijinho

luizalves disse...

gostei, você escre bem, sem o medo normal, sem a mania de encontrar o que não existe, simples, fácil, gostei, gostei muito

Suzana Meirelles disse...

Nada como "no tempo da delicadeza"
Como o poema diz sem dizer:Sem palavras!!!
Me comoveu e verdade!

Filipe Santos disse...

ola amiga

estou a ver que temos poeta.
muito bom,estive a ler e gostei demais.

Um Abraço

Anitta disse...

amei!!!!É um poema muito lido puro,meigo com uma pitada de paixão.Que fala do silêncio,do mar ,da dança ,de amor de dois copos colados,calor humano..tudo muito eu!!!!!rsrss..beijos pra vc e sua família...

Garret Bragança disse...

Dilean, ou Lean, ou ainda melhor, leanzinha, escolhi este poema pra te dizer que só agora puder me deter na leitura do seu blog. Ele é muito bom. Muitos poemas lindos e essas fotos...eu não sabia que você as tinha, algumas de Nova Iguaçu e outras de viajens uas. também viajei no teu blog, muito bom irmã querida.
Beijos e continue a escrever. Me sinto um pouco melhor do que sou quando te leio.