terça-feira, 21 de julho de 2009

Quem sabe??






















O amor é assim...
Como o vento
Como as ondas
Como o temporal
É assim o amor...
Pode ser um vendaval
Uma simples maresia
Ou até uma garoa fria.
Pode ser como o sol
Como as estrelas
Como a lua
É assim o amor!
Pode arder entre as nuvens
Brilhar mesmo distante
Ter fases novas e minguantes
É... Ele é mesmo assim!!
Pode ser só um abraço
Forte no silêncio quente.
Pode ser como o tempo
Passar rápido ou lento
Ou quem sabe durar eternamente.
Quem sabe?
Quem sabe?

Dilean De Bragança

Em: 16/06/2009

12 comentários:

Ni ... disse...

como amo te ler...
Saudade que estava, mainha ruiva...rs

Beijo e mais beijos..

saudepelasplantas disse...

Belos versos Dilean. Lindos mesmo. Tens um dom muito bonito. Sorte nossa que podemos usufruir dele através de vc.
Um grande abraço,
Edilza

Dilean de Bragança disse...

Ni querida, fui lá no seu cantinho! Saudades tb!

Saudedasplantas...Que delícia ler esse nome do seu espaço! Obgda pela visitinha e pelas doces palavras.
Volte sempre.
Bjus & Bjus

Emanuella Maria disse...

Oi, obrigada pela visita no ambiente vistoriado. que bom q vc gostou do blog :) adorei seu espaco e os textos sao otimos!!

Marco Sistinne disse...

Oi Dilean, gostei bastante do seu espaço, pena que só descobri agora; não sabia que gostava e escrevia poesias também. bom domingo e semana abraços Marco

Auíri Au disse...

O importante é que é o amor..
linda foto
beijos

O Profeta disse...

Não me queres dizer onde mora o teu sorriso
Ausente do incontido abraço
Ausente das palavras felizes
Envolto em nuvem escura no espaço

Não me queres dizer o rumo
Que leva ao teu terno coração
Não me queres abrir as portas
Da cor vibrante da paixão?



Bom fim de semana



Doce beijo

Sonia Regly disse...

Amiga,
Gosto muito de vir aqui.Sempre bons textos, novidades, música boa. Coloquei 2 posts novos.Um falando da malandragem no Congresso e outro sobre o tempo de Rubem Alves.Gostaria de conhecer sua opinião.Beijão

O Profeta disse...

Troquei as voltas a um Golfinho feliz
Afagei a cria de uma Baleia azul
Confundi uma nuvem com ilha encantada
Perdi-me na rota entre o Norte e o Sul

Aprisionei o olhar de uma gaivota
Enchi a alma com penas de imensa leveza
Enchi o coração de doce maresia
Adormeci nos braços da incerteza

Vem viajar comigo no meu barco de papel


Bom domingo

Doce beijo

Machado de Carlos disse...

Aqui tudo é belo, alegre e de muito bom gosto! Parabéns!

Isidro Jesus Cedrés González disse...

Amiga, yo no pasé y te vi;
yo pasaba y me quedé
enganchado a tus versos,
a tus antojos
a tus caprichos;
tú escribes como a mí me gusta.
Por eso me quedo.
Seguiré leyendote.
Precioso verso..
Jecego.

Garret Bragança disse...

Muito bonito irmã.